28 fevereiro 2015

'Fez cocô na cama e eu me estressei', diz mãe suspeita de espancar filho

Em depoimento à Polícia Civil em Cristais Paulista (SP), Jane Aparecida Jardim, de 27 anos, confessou ter batido no filho Adriano Henrique Jardim Ramos, de 5 anos, após ele ter defecado na roupa que vestia e na cama. Ela foi indiciada por tentativa de homicídio e presa depois das agressões na quinta-feira (26). A criança está internada em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa de Franca (SP).
Na delegacia, Jane contou que não havia levado Adriano à creche na quinta-feira para que ele cuidasse de seu irmão mais novo enquanto ela fazia serviços de casa. Em determinado momento, a mulher percebeu que ele havia defecado em suas roupas e acabou se irritando. “Ele tinha feito cocô na cama. Foi quando eu me estressei e bati nele e acabei empurrando ele. Foi quando ele bateu a cabecinha na cama”, contou.
Durante a agressão, ela teria usado um cinto e segurado o menino pelos braços e pescoço, deixando marcas em seu corpo, segundo a polícia. “Eu fiquei irritada. Porque eu já tinha lavado as cuecas dele no dia anterior e ele foi e fez isso”, afirmou.
Durante seu depoimento, ela relatou que, apesar da surra, a criança voltou a brincar normalmente com o irmão e que só percebeu a gravidade dos ferimentos quando colocou o menino para dormir depois do almoço.
“Eu vi que ele estava com hematomas no bracinho, na barriguinha e nas perninhas. Mas pedi perdão a ele”, revelou. Apenas quando o menino não acordou, ela viu que a cabeça dele estava inchada e chamou ajuda para levá-lo ao hospital.
Menino de 5 anos tem marcas de agressão por
todo o corpo (Foto: Reprodução/EPTV)
A mãe também disse que já usou cocaína, mas negou que estivesse sob efeito de qualquer substância no momento da agressão.
Investigação
Segundo o delegado Djalma Donizette Batista, as investigações não descartam a hipótese de que a mãe tenha usado outros objetos além do cinto para agredir a criança e que episódios como esse já tenham ocorrido outras vezes. O delegado também investiga a possibilidade de envolvimento de outra pessoa na agressão. Ele aguarda o laudo pericial.
“Não tenho dúvidas que as agressões já aconteciam. Porque o médico legista que fez uma perícia preliminar nessa criança nos atestou que ela tem lesões atuais e antigas. Percebemos também que existem lesões até de queimadura e hematomas que não acreditamos que foram oriundos apenas do uso do cinto”, explicou Batista.
Internação
Adriano foi levado para o pronto-socorro e transferido para a Santa Casa. Segundo a assessoria de imprensa do hospital, o menino deu entrada na unidade com traumatismo craniano e foi internado na UTI em estado grave. Após a internação, o hospital comunicou a delegacia de Franca, que passou a investigar o caso.
Após interrogatório, a mãe foi presa em flagrante e encaminhada para a Cadeia do Guanabara. Ela foi indiciada por tentativa de homicídio qualificado e por motivo fútil.
Adriano Henrique Jardim Ramos, de 5 anos, foi agredido por ter defecado na roupa (Foto: Reprodução/EPTV)

27 fevereiro 2015

Leonard Nimoy, o Spock de 'Jornada nas estrelas', morre aos 83 anos

O ator norte-americano Leonard Nimoy, conhecido pelo papel de Spock em "Jornada nas estrelas", morreu aos 83 anos, na manhã desta sexta-feira (27), em sua casa em Bel Air, bairro de Los Angeles. Sua mulher, Susan Bay Nimoy, confirmou a notícia ao "New York Times", dizendo que a causa da morte foi o estágio final de doença pulmonar crônica obstrutiva.
O ator Leonard Nimoy, conhecido pelo papel de Spock em 'Star Trek', durante participação na série 'Fringe', em 2008 (Foto: Divulgação)
O ator Leonard Nimoy, conhecido pelo papel de Spock em 'Star Trek', durante participação na série 'Fringe', em 2008 (Foto: Divulgação)
Na semana passada, ele foi internado às pressas em um hospital de Los Angeles, EUA, após sentir fortes dores no peito. De acordo com o site TMZ, Nimoy precisou ir ao hospital várias vezes nos últimos meses devido a complicações decorrentes da doença.
Em fevereiro do ano passado, ele revelou ter uma grave doença no pulmão. "Parei de fumar 30 anos atrás. Não cedo o suficiente. Eu tenho COPD [doença pulmonar obstrutiva crônica]. O vovô aqui diz pare agora!", escreveu em sua conta oficial no Twitter, na ocasião.
Ao final da mensagem, como é comum em todos os seus posts na rede social, ele se despedia com a sigla LLAP, que significa Live Long and Prosper ("Vida e longa e próspera", saudação tadicional de "Jornada nas estrelas").
A enfermidade de que Nimoy sofria – conhecida no Brasil como DPOC – tem forte relação com o fumo. Ela é mais comum em adultos, principalmente a partir dos 40 anos. Causa falta de ar, fadiga muscular e insuficiência respiratória, e é apontada pelo Ministério da Saúde como uma das principais causas de mortalidade no Brasil.
O ator Leonard Nimoy como Spork em 'Jornada nas Estrelas' (1966) (Foto: Divulgação)
O ator Leonard Nimoy como Spock em 'Jornada nas Estrelas' (1966) (Foto: Divulgação)
Biografia
Leonard Nimoy Simon nasceu em Boston, EUA. Seus pais eram imigrantes judeus da Ucrânia. Ele desenvolveu interesse em atuar em uma idade precoce, sendo sua primeira aparição no palco aos oito anos em uma produção de "Hansel e Gretel". Ele fez aulas de teatro por um tempo no Boston College, e, depois de sair de casa para prosseguir a sua carreira em Hollywood, ele conseguiu seu primeiro papel principal no filme "Kid Monk Baroni", de 1952.
Depois de servir no Exército de 1953 a 1955, ele fez pequenos papéis em alguns filmes, mas principalmente em séries de TV, aparecendo em episódios de "Dragnet", "Sea Hunt", "Bonanza", "Wagon Train", "Rawhide", "The Twilight Zone", "Os Intocáveis", "The Outer Limits", "The Virginian", "Get Smart" e "Gunsmoke" antes de alcançar a fama em "Jornada nas estrelas".
Mais recentemente, ele retornou à série "Fringe" como o maníaco professor William Bell, e fez a voz de Spock em um episódio de 2012 de "Big Bang Theory". O último trabalho dele como Spock foi "Além da escuridão: Star Trek" (2013), segundo longa da franquia desde a retomada com "Star Trek" (2009), sob direção de J.J. Abrams.
Leonard Nimoy, conhecido pelo papel de Spock em 'Jornada nas estrelas', divulga foto ao lado de Jim Parsons, o Sheldon de 'The Big Bang Theory' (Foto: Reprodução/Twitter )
Leonard Nimoy, conhecido pelo papel de Spock em 'Jornada nas estrelas', divulga foto ao lado de Jim Parsons, o Sheldon de 'The Big Bang Theory' (Foto: Reprodução/Twitter )

Cientista prevê transplante de cabeça em dois anos

O primeiro transplante de cabeça da história poderia ocorrer em dois anos, segundo uma reportagem publicada nesta semana pela revista NewScientist.
É a possibilidade que estuda uma equipe liderada pelo cirurgião italiano Sergio Canavero, do Grupo de Neuromodulação Avançada de Turim. O grupo deve apresentar a proposta durante uma conferência médica nos Estados Unidos neste ano.
A técnica consistiria em implantar a cabeça de um paciente de doença grave no corpo de um doador que tenha tido morte cerebral.
Em entrevista à NewScientist, Canavero disse que a cirurgia poderia prolongar a vida de pessoas que sofrem de degeneração dos músculos e nervos ou que tenham câncer.
Ele disse, porém, estar ciente de que a proposta gera muita polêmica e que entraves éticos podem ser uma grande barreira. Canavero prevê ainda que sua equipe enfrenta dificuldades para conseguir autorização para desenvolver a técnica nos Estados Unidos.
"Se a sociedade não quiser isso, eu não vou fazer. Mas se as pessoas não quiserem nos Estados Unidos ou na Europa, não significa que não será feito em outro lugar. Estou tentando fazer da forma correta. Antes de você ir à lua, tem que ter certeza que as pessoas o seguirão", disse Canavero à NewScience.
Técnica
O cirurgião italiano publicou neste mês uma lista de técnicas que tornariam o transplante possível.
Elas incluem procedimentos como resfriar a cabeça do receptor e o corpo do doador para evitar que as células morram sem oxigênio, cortar os tecidos do pescoço e conectar as veias e artérias maiores a tubos finos e seccionar os nervos da espinha.
Uma das partes mais complicadas da eventual cirurgia seria conectar os nervos da espinha do corpo aos nervos da cabeça. O cirurgião usaria uma substância química com polietileno para fazer as conexões e eletrodos para estimular as novas conexões nervosas.
Canavero disse também à NewScience que logo após a cirurgia o paciente passaria semanas em coma e inicialmente seria capaz de mover os músculos do rosto e falar com a mesma voz que tinha antes. Porém, seria necessário pelo menos um ano de fisioterapia para que pudesse andar.
Segundo ele, diversas pessoas já teriam se candidatado ao procedimento.
Segundo a NewScience, um procedimento similar foi testado em um macaco nos anos 1970 por outra equipe. O animal conseguia respirar com ajuda de aparelhos mas não podia se mover, pois sua cabeça não havia sido conectada aos nervos da espinha.
O animal morreu dias depois devido à rejeição de tecidos.
Chances
A revista ouviu diversos especialistas na área que se disseram céticos em relação à viabilidade da técnica. Alguns ressaltaram pontos técnicos difíceis de resolver, tais como a dificuldade de fazer o paciente passar pelo coma de forma saudável.
Outros levantaram dilemas éticos, como a possibilidade de que, se der certo, a cirurgia seja usada para fins cosméticos. Ou disseram que o procedimento pode até se tornar realidade, mas não em um prazo tão curto.

PRF apreende cerca de 10 toneladas de maconha em carreta na Régis

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu uma carreta com cerca de dez toneladas de maconha na noite desta quinta-feira (26) na Rodovia Régis Bittencourt. O veículo foi interceptado no pedágio do km 295, região de Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo. A quantidade é similar ao que foi apreendido da droga em todo o ano passado no estado, 12,8 toneladas.
Os policiais abordaram o veículo porque ele tinha uma placa de Foz do Iguaçu (PR) durante uma fiscalização de rotina. O motorista disse que transportava milho e apresentou uma nota falsa. Além disso, o motorista afirmou ter recebido R$ 30 mil pelo frete até o Rio Grande do Norte, o que deixou os policiais ainda mais desconfiados, já que o valor é considerado baixo para um trajeto de mais de 3 mil quilômetros. Segundo ele, o caminhão veio carregado do Paraguai.
Durante a fiscalização, os policiais localizaram maconha prensada em tijolos.
O caminhoneiro foi preso em flagrante e irá responder por tráfico internacional de drogas.
Segundo o motorista, a carreta continha 15 toneladas de maconha misturada ao milho. A PRF acredita ter apreendido 10 toneladas de maconha, mas não confirmou o volume e levou o caminhão para a sede da Polícia Federal (PF), na Lapa, Zona Oeste de São Paulo, onde a droga seria separada e pesada.
Polícia Rodoviária Federal apreendeu uma carreta carregada com maconha em meio a sacos de milho na rodovia Régis Bittencourt (Foto: Marcio Ribeiro/ Estadão Conteúdo)

Com máscara de atropelador, grupo faz pedalada pelada em Porto Alegre

Cerca de 30 pessoas se reuniram no final da tarde desta quinta-feira (26) no Largo Zumbi dos Palmares, na Região Central de Porto Alegre. Sobre bicicletas e com poucas roupas, os ciclistas se encontraram para um ato entitulado "Pedalada pelada". Este foi o segundo evento organizado com a intenção de marcar os quatro anos do atropelamento coletivo de ciclistas no bairro Cidade Baixa, em Porto Alegre. Alguns usaram máscaras com o rosco de Ricardo Neis, o motorista que atropelou ciclistas na ocasião lembrada pelo grupo.
Grupo faz "Pedalada pelada", em Porto Alegre (Foto: Carolina Marquis/G1)
A chuva atrapalhou os planos das cerca de 1,4 mil pessoas que haviam confirmado a participação no evento no Facebook, onde o ato tomou forma. Por volta das 19h30, no momento em que a chuva começou a cair com menos intensidade, mais pessoas se juntaram ao grupo inicial. Depois de reunido, as pessoas colocaram as máscaras para lembrar o atropelamento.
Conforme o músico José Francisco Baronio, de 30 anos, o conceito do evento é exibir a vulnerabilidade do ser humano. "A ideia é mostrar a fragilidade do corpo humano. Mostrar o quão frágil é o ciclista no trânsito", explicou Baronio.
grupo usa máscara com rosto de Ricardo Neis (Foto: Carolina Marquis/G1)
Para a professora Fernanda Rozados, de 37 anos, a Pedalada Pelada traz, em si, múltiplos significados. "Acho que as pessoas deveriam refletir sobre o que choca elas. Hoje o que choca são as pessoas tirarem a roupa, não a impunidade com os acidentes, o descaso da prefeitura, a fragilidade do ciclista. Os valores estão invertidos", conclui.
O artista visual Rubens Bertolins participou de dois eventos anteriores com o mesmo intuito. Rubens se autodenomina um "peladista": "Eu sou peladista e considero anacrônica qualquer lei ou pressão oficial contra a nudez no espaço público. A nudez é natural e deveria fazer parte do cotidiano das pessoas. Esses tabus precisam que ser quebrados", considera.
Na quarta-feira (25), houve o primeiro ato para marcar os quatro anos e pedir por uma resolução no processo que julga o atropelamento do grupo, quatro anos atrás. Na sexta-feira (27), haverá mais um evento organizado pela Massa Crítica para marcar a data.
Grupo faz "Pedalada pelada", em Porto Alegre (Foto: Carolina Marquis/G1)

Vestido (branco ou azul) causa burburinho nas redes sociais

Um vestido está bombando na internet nesta noite de quinta-feira (26). O único problema é que ninguém sabe ao certo quais são as cores dele: branco e dourado ou azul e preto? 
Tudo começou quando uma internauta postou em seu Tumblr Swiked a imagem acima pedindo ajuda a quem pudesse dá-la. O burburinho, que está tomando conta da web e dos aplicativos de mensagens dos smartphones, terminou levando o tal vestidos aos Trending Topics Mundiais do Twitter. A confusa peça de roupa ganhou até um perfil na rede, chamado O Vestido.
Até agora, nenhuma explicação foi comprovada, mas já tem gente arriscando palpites por aí. Um deles é de que a confusão é causada pela diferença de contraste nas telas dos computadores e celulares. 
E aí, alguém arrisca alguma explicação?

26 fevereiro 2015

Relembre o caso Richthofen e imagens da família

Em entrevista, Suzane Von Richthofen assume ter planejado a morte dos pais.

Condenada a 39 anos de prisão pela morte dos pais, Suzane von Richthofen, 31, deu detalhes sobre o crime, ocorrido em 2002, e admitiu pela primeira vez que o crime foi planejado por meses. Suzane arquitetou o assassinato dos pais junto com o ex-namorado Daniel Cravinhos e o irmão dele, Christian.
Em entrevista para a Rede Record, a ré confessa admitiu que o crime foi premeditado por ela e os irmãos Cravinhos.As declarações foram dadas ao apresentador Gugu, que estreou seu programa na Record na noite de quarta-feira (24).
Suzane afirmou ainda terem sido ela e Daniel os principais mentores dos assassinatos.
"Muita gente me pergunta se a ideia [do crime] foi minha. Todos dizem que eu sou a mentora, a cabeça de tudo. Não é verdade, Gugu. Uma cabeça só não pensa em tudo. É uma junção de tudo, concorrência de ideias. Eu fiz parte, mas os três bolaram aquilo. Eu acho que o Cristian sabia menos da situação, mas, infelizmente, tanto o Daniel quanto eu temos culpa nessa parte", declarou.
Em entrevistas anteriores, Suzane havia apontado os irmãos Cravinhos como idealizadores da morte dos seus pais, embora o Ministério Público sempre tenha defendido que ela era a mentora do crime.
Suzane admitiu ainda que tenta esquecer o crime e voltar ao passado pois se diz arrependida. "Isso é uma coisa que não tem como esquecer. Faz parte da minha vida, da minha história. Eu me arrependo. Queria pular os 14 anos, não ter conhecido ele [Daniel], não ter namorado. Como eu queria".
A presidiária disse ainda que não vê o irmão Andreas desde 2006, quando aconteceu o julgamento. Segundo ela, ele chegou a visitá-la quando estava presa na capital, mas que o irmão não apareceu mais. "Eu sei que meu irmão sofreu muito, mas como ele passou estes anos, eu não sei. Se eu sofri aqui dentro [no presídio de Tremembé, onde está há sete anos], imagino ele lá fora. Quando ele diz o sobrenome, qualquer um reconhece, e ele terá que carregar isto pra sempre".
De acordo com ela, Andreas não queria se afastar da irmã após a confissão do crime: "Na época, ele me disse: 'Su, eu perdi meu pai, minha mãe. Eu não quero perder minha irmã. Eu te perdoo e vou ficar com você'", disse ela ao apresentador. Ela acredita que um dos motivos do afastamento pode ter sido a herança, da qual abriu mão em 2014.
Na entrevista, ela afirmou não ter consciência do valor do dinheiro do qual abriu mão: "Este dinheiro nunca foi meu. Era dos meus pais e hoje pertence ao meu irmão", disse.
Link permanente da imagem incorporada
O crime
O crime aconteceu no começo da madrugada de 31 de outubro de 2002. Manfred e Marísia dormiam quando Suzane, o namorado dela, Daniel, e o irmão dele, Cristian Cravinhos, entraram na garagem no carro da jovem. A policia conta que Suzane foi até o quarto dos pais para conferir se eles estavam dormindo.
Autorizados por ela, Daniel e Cristian entraram em ação. Daniel se aproximou de Manfred. Cristian, de Marísia. Foram inúmeros os golpes na cabeça com barras de ferro. Os irmãos ainda usaram toalhas molhadas e sacos plásticos para sufocar o casal.
Durante o assassinato, Suzane esperou no andar de baixo da casa. A jovem revirou o escritório para simular um assalto. Antes de ir embora, o trio embolsou cinco mil dólares e R$ 8.000 guardados por Manfred.
Depois da morte dos pais, Suzane foi com Daniel para um motel. Às três da madrugada, a jovem deixa Daniel em casa e vai em busca do irmão Andreas numa lan house. Ela e o irmão caçula voltam à mansão. Ao se depararem com os pais mortos, Suzane acionou a polícia.
Na madrugada do dia 22 de julho de 2006, o Tribunal do Júri condenou Suzane e os irmãos Daniel e Cristian Cravinhos à prisão pelo assassinato do casal. Suzane, Daniel e Cristian foram condenados por duplo homicídio triplamente qualificado.
Eles estão presos na penitenciária de Tremembé, no interior de São Paulo. Os então namorados Suzane e Daniel tiveram uma pena de 39 anos e meio de prisão. Cristian foi condenado a 38 anos e meio.
Perita e delegada contam como souberam que filha e namorado planejaram as mortes
Quase 10 anos após morte do casal Richthofen, a polícia divulgou imagens inéditas da casa onde aconteceu o crime. Perita e delegada contaram como descobriram que as mortes foram planejadas pela filha e pelo namorado. As imagens são do momento em que a polícia e a equipe de peritos chegaram ao local.
A área estava isolada, sem a presença de jornalistas. Só uma pequena parte da gravação foi divulgada na época. No térreo, lavanderia, garagem, sala e cozinha estavam em ordem. Na escada, nenhum sinal aparente de assalto. No andar de cima, banheiro arrumado. O quarto de Andreas (irmão de Suzane) estava do mesmo jeito que ele havia deixado quando saiu de casa.
Bijuterias e objetos pessoais estavam espalhados pelo corredor. Era uma tentativa de Suzane de simular um assalto. No escritório, gavetas abertas e documentos jogados no chão. Era onde estava o dinheiro levado pelo trio depois do crime. 
No quarto, os corpos de Manfred e Marísia. O casal estava muito machucado. Ao lado dele, as gavetas do criado mudo estavam abertas. E uma arma caída no chão. Segundo a polícia, era uma tentativa de simular uma reação ao assalto por parte de Manfred. No tambor, faltava uma cápsula. Mais tarde, a polícia descobriu que o trio testou a arma dias antes e concluiu que não era conveniente usá-la porque o disparo fez muito barulho. 
Havia toalhas espalhadas pelo quarto. Ao lado de Marísia, uma jarra com água e um abajur com a luz acesa. Um cenário que intrigou a polícia, segundo a delegada Cintia Tucunduva. 
—A jarra chamou atenção porque não havia copo. Eu pensei, quem é que põe uma jarra na cabeceira sem copo. Por que essa jarra está aqui? Havia saco plástico de lixo, preto, era o mesmo saco que estava na despensa da casa. Então o suposto ladrão sabia onde tinha jarra de água na cozinha, a faca e o saco de lixo, e não mexeu em nada, estava tudo arrumado. Abrimos a despensa, era casa extremamente organizada, e estava tudo guardado em ordem, inclusive os sacos. 
Suzane, Daniel e Cristian foram convocados para prestar depoimento. E o que os policiais e peritos viram chamou ainda mais a atenção, conforme conta a perita Jane Pacheco Belucci. 
—A advogada da família pediu que separasse a Suzane do Daniel por causa dos beijos cinematográficos. Ali aos beijos e abraços no DHPP.
Ela revela que as cenas eram escandalosa e chamaram a atenção.
—Totalmente incompatível com a situação. (...) Não era mais 'estou chorando a morte de meus pais' e sim 'estou comemorando'. 
Durante a investigação, a polícia descobriu que Cristian havia comprado uma moto com o dinheiro levado por ele no dia crime. Foi o bastante para a polícia fechar a história. Suzane, Daniel e Cristian são interrogados sete dias depois do crime. A delegada contou que Cristian foi o primeiro a confessar. 
—Ele confessou, saímos todos correndo, subindo as escadas, ali o Cristian pega e fala: eu sabia que isso não ia dar certo. Foi pesado, deu repercussão, não sou bobo, sabia que iam pegar a gente. 
Daniel foi pressionado e confessou. Suzane foi a última a admitir que planejou o assassinato dos pais.

Vídeo do Estado Islâmico mostra sniper em ação

Um vídeo divulgado na internet e identificado como sendo do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) mostra o que seriam assassinatos cometidos por um atirador de elite, um sniper, no leste da Síria. "Será esta a resposta do EI ao filme 'Sniper Americanor'?", questionou no Twitter a diretora do Site Intel Group, Rita Katz, organização que monitora a atividade jihadista na rede. Ela se refere ao recém-lançado filme hollywoodiano dirigido por Clint Eastwood.
O vídeo é bastante elaborado, como são as "produções" anteriores do Estados Islâmico. Trata-se de uma coleção de sequências em que as vítimas são mostradas à distância em imagens granuladas, possivelmente pelo uso de zoom. Ouvem-se disparos e gritos de "Alá é grande", quando o alvo é atingido. Efeitos de miras telescópicas foram adicionados na edição, que conta também com trilha e efeitos sonoros.
O Estado Islâmico é um grupo radical que surgiu a partir do braço iraquiano da Al-Qaeda no Iraque, dirigido por Abu Bakr al-Bagdadi. Em abril de 2013, o líder anunciou que o grupo se fundiria à Frente Al-Nosra, outro grupo jihadista presente na Siria. O EI nunca jurou lealdade ao chefe da Al-Qaeda, mas o grupo defende o mesmo tipo de ideologia jihadista. O grupo conseguiu recrutar milhares de combatentes e tomou o controle de importantes territórios da Síria e do Iraque.
Vídeo mostra o que seriam inimigos do Estado Islâmicos sendo fuzilados à distância por snipers (Foto: Reprodução)
Em junho do ano passado, o EI proclamou um califado nas áreas invadidas, e pediu a todos os muçulmanos que jurassem fidelidade ao seu líder, al-Bagdadi, eleito califa – que significa, literalmente, o sucessor do profeta como chefe da nação e líder da comunidade muçulmana.
Desde agosto do ano passado, o grupo divulga vídeos em que seus combatentes decapitam reféns ocidentais. Recentemente, publicou um video em que mostra a execução de 21 cristãos coptas egípcios sequestrados na Líbia. 
O avanço do grupo provocou a reação de países ocidentais, que formaram uma coalizão internacional, liderada pelos Estados Unidos, e bombardeiam alvos do grupo jihadista. O recrutamento de combatentes fora de sua zona de combate também preocupa a Europa e os Estados Unidos.
Vídeo do Estados IslÂmico também mostra preparo do atirador (Foto: Reprodução)
Atualmente, a Grã-Bretanha está em alerta após a fuga de três jovens que teriam ido à Síria. Em janeiro, um dos terroristas que realizou ataques em Paris, Amedy Coulibaly, disse pertencer ao EI. Coulibaly matou um policial em 8 de janeiro e quatro pessoas em um supermercado judeu no dia 9.
A aparência de mira telescópica foi adicionada com edição (Foto: Reprodução)

25 fevereiro 2015

Mãe de 5 após fertilização, psicóloga engravida e festeja 1ª menina: 'Sonho'

"Nunca achei que poderia engravidar naturalmente", disse a psicóloga Layane Cedraz, 32 anos, que espera uma menina, seu sexto filho. Ela já é mãe de cinco meninos, que foram concebidos por fertilização in vitro – os quadrigêmeos Yure, Enzo, Ianic e Luigi, de 1 ano e 9 meses, e Rafic, de 6 anos.
Layane conta que, após o nascimento dos quadrigêmeos, ela e o marido não utilizavam qualquer método contraceptivo pensando que seria impossível engravidar naturalmente.
Quadrigêmeos (Foto: Greyce Coli/Arquivo Pessoal)
"Tenho uma trompa obstruída, endometriose e não tenho ciclo menstrual regular. Só descobri a gravidez [da menina] com cerca de quatro semanas, porque fiquei me sentindo cansada, tinha mal-estar, sentia um sono inexplicável e ficava pensando: 'Minha menstruação, quando vier, vai me derrubar'", relata Layane.
Mesmo com cinco filhos, a psicóloga conta que ainda tinha o sonho de ser mãe de uma menina. Ela e marido pensavam em adoção, mas não por enquanto. "A gente pensava em adotar, mas só daqui a uns cinco anos, quando os meninos estivessem maiores. Não esperava. Estou anestesiada até agora. Confesso que ainda estou processando tudo, porque, por mais que em meu coração desejasse, eu não acreditava", revela.
Layane e sua família comemorando a descoberta do sexo do bebê. (Foto: Greyce Coli/ Arquivo Pessoal)
Layane explica que comprou um teste de farmácia para tirar a dúvidas sobre o mal-estar que sentia, mas ainda não acreditava na possibilidade da gravidez.
"Comprei o teste de farmácia sem avisar a ninguém. Fiquei com medo de fazer, deixei para o dia seguinte, depois do Natal. Meu sonho era enxergar as duas listinhas do teste. Quando fiz e confirmou, comecei a chorar, acordei meu marido desesperadamente. Ele me acalmou, disse que a gente ia confirmar o exame em um laboratório e que o bebê 'é o presente de Deus para nossas vidas'. Eu não sabia de quanto tempo eu estava grávida, aí depois do exame no laboratório, descobri que estava com quase quatro semanas", conta.
Ela lembra ainda que o filho mais velho, Rafic, disse a ela que sonhou que teria uma irmãzinha. "Ele disse: 'eu vou pedir a papai do céu uma irmãzinha'. Então, quando descobri fiquei desesperada para dar notícia a ele', conta Layane.
Layane já é mãe de um menino de seis anos e dos quadrigêmeos. Agora, ela está grávida de uma menina. (Foto: Greyce Coli/ Arquivo Pessoal)

Casal gasta R$ 30 e monta chuveiro sem tubulação de água e energia elétrica

Um casal de Suzano (SP) usou uma caixa de descarga de plástico e uma ducha para criar um chuveiro que consome apenas seis litros de água, independente de instalações elétrica e hidráulica.
A peça custou R$ 30 e foi montada com a ajuda de um funcionário de uma loja de materiais de construção. Com a instalação, a família tem garantido o banho nos dias de corte de água no condomínio e economizou energia elétrica.
O "chuveiro elegante", como a engenhoca foi apelidada pela coordenadora pedagógica Lilian Keli Lima, foi instalado dentro do box e é usado pelos quatro moradores do apartamento de acordo com a disponibilidade de água na caixa do prédio.
Família cria chuveiro independente de ligação hidráulica e elétrica para garantir banho
"Aqui no condomínio nós decidimos que só teria um pouco de água pela manhã, um pouco a tarde e um pouco a noite. Se eu chego em casa e não tem água no chuveiro normal, a gente usa o outro. Se precisar, a gente esquenta um pouco da água no fogão para ficar mais morno", explicou.
Lilian Lima usa duas garrafas PET de 3 litros ou 3,5 litros cada para abastecer o reservatório antes do banho. Ela enche as garrafas nos períodos em que o prédio libera o uso da água. A coordenadora pedagógica, que enviou fotos da criação pela ferramenta colaborativa VC no G1, garante que é possível tomar um banho de cinco minutos com os seis litros, porque a pressão é menor.
Com a medida, a família aprendeu a tomar a ducha em pouco menos que cinco minutos. "Meu filho gasta uns três litros só. Ele tem 9 anos e usa menos água porque tem cabelo curto. No meu caso, eu uso um pouco mais porque meu cabelo é mais comprido", disse. O que sobra do banho é armazenado em baldes, para reúso na descarga e faxina da casa.
Além do "chuveiro elegante", a família adotou outras medidas criativas para economizar. Uma delas é a substituição da torneira da pia do banheiro por uma válvula, que normalmente é usada em frascos de sabonete líquido. Com isso, houve redução do consumo na hora de lavar as mãos, sem deixar de lado a higiene pessoal.
Família de Suzano (SP) usa medidas alternativas para economizar água no apartamento
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...