25 julho 2014

7 segredos escondidos nas obras de arte

Hoje temos um assunto que eu particularmente acho interessante. Quantas vezes você não ouviu falar em mensagens subliminares? Fantasmas em filmes, discos tocando mensagens satânicas ao serem tocados "backwards" ou ainda imagens escondidas em quadros?? 
Pois é sobre esse último que vamos falar. Hoje o post é sobre arte dentro de arte, mensagens propositais ou não que podem passar despercebidas a primeira vista em grandes obras de arte.
Vamos a elas.
#7 O grande cérebro de Deus
Aaaaahh...a Capela Sistina...uma obra de arte imensa....e esse pequeno pedaço dela é o mais lembrado. O encontro entre o homem e Deus. Vários estudos tentam entender esse cenário, dizem que Deus e o homem (Adão no caso) estão com gestos semelhantes mostrando a semelhança deles. Mas.....OH WAIT !!!
Dá o dedinho aqui dá...
Reparem no formato de Deus. Assemelha-se a algo? Sim senhores, é um cérebro cortado ao meio. Vejam uma imagem auxiliar.

Dizem que Mike ( Michellangelo para os intimos ) fez isso de propósito, tentando dizer que"Deus é uma criação do cérebro humano". Bem sapeca essa tartaruga ninja hein?
#6 O pequeno David
David, o homem que derrotou Golias, o gigante. Vejam que traços fortes, impávido, seus músculos salientes e seu ....OH MY FUCKING GOD !!
O "Grande" David
Que que é isso David? Tava frio garoto? Porque tão minúsculo er...er...hum..arf...er... (como dizer isso sem soar mal) que tal....pinduricalho? Vamos usar o termo penis..hehehe..
Que é isso meu amigo?? Porque Mike (sim a tartaruga ninja de novo) fez isso com você? Aí vem a explicação.
Aaaaai que meda !!
Se notarmos o rosto de David (que não é muito visível vendo de baixo) podemos notar uma expressão de desespero, afinal ele está prestes a lutar contra um gigante (Kratos ficaria orgulhoso??) e o tamanho diminuto de seu órgão sexual exprime todo esse pavor, e mostra-se retraído, como querendo fugir desse mundo cruel. Tadinho do David.
#5 Trilha sonora divina
Quem não gosta de uma musiquinha na hora da janta? E se essa for sua última janta? Teria que ser uma música bem especial. Foi isso que nosso amigo tartaruga ninja (dessa vez Leonardo....o Da Vinci) fez na Última Ceia.
Cade o Washington...o garçom?
Várias coisa já foram ditas sobre esse quadro mas a mais legal é essa. Se você traçar pontos nos pães e nas mãos de todos você encontra uma sequência que se transforma em um pequeno trecho de partitura. E melhor, uma bela canção. É a primeira OST do mundo, eu acho....
Ligue já 1406
#4 Bundalelê
Sapeca iáiá... essa é mais bizarra ainda. Um holandês resolveu fazer um quadro com referências a alguns provérbios holandeses. Até ai tudo bem. Mas eles estão escondidos ao melhor estilo "Onde está o Wally?" nessa pintura de Pieter Bruegel (o holandês), e o pior, todos os provérbios fazem referencia ao Derriére... a poupança, ao bumbum, traseiro, nádegas... Bom vocês entenderam. Vejam alguns provérbios retratados.
"Ambos cagam pelo mesmo buraco"
Uma metáfora para "Eles pensam da mesma maneira" sutilmente representada aqui.
"Cagando para o mundo"
Uma alusão a... Bom...a cagar para o mundo... Não ligar para nada. Vamos ao próximo... Chega de bundas.
#3 O Papa é pop um FDP
Ai sim, um singelo trecho da... CAPELA SISTINA?? De novo Mike? Você não é facil viu.
Neste pedaço menos conhecido da Capelinha, podemos ver o Papa Julius II carregando duas crianças nas costas enquanto uma delas... DIÓS SANTOOOO!!!!
Pestinha do cão!!!
Tá, talvez vocês não saibam, mas eu que sou fodão vou contar. Esse sinal nas mãos do garotinho na idade média, era o equivalente a esse aqui ó:
Sapeca esse Mike hein. Isso tudo porque o Papa não era lá muito querido, tanto que tempos depois Mike foi convidado a pintar o altar, e pintou essa linda parte chamada "A boca do inferno". Até ai tudo bem, se a BOCA DO INFERNO NÃO FICASSE EXATAMENTE ATRÁS DO TRONO DO PAPA!! huauhahuahuahuauh... Esse Mike viu.
Nada como ser querido hein?
#2 Seriam os Deuses astronautas ?
Essa é meio descarada, mas não deixa de ser interessante. Muitas obras da época dos tartarugas, tinham OVNIS nelas. Sim senhor, OVNIS. Vejam com seus próprios olhos.
É um pássaro? Um avião...a não, é só o espírito santo
Lady Gaga?
Esses caras pra mim parecem MUITO com ETs
Estudiosos dizem que não são OVNIs e sim representações do espírito santo, como era imaginado na época. Pra mim parecem naves inimigas prontas para destruir o Empire State Building.
#1 FAP FAP FAP FAP
E nosso último tópico traz algo mais bizarro ainda. Naquela época, a maioria das obras era patrocinada pela igreja católica, o que fazia com que tivesse que ser mais recalcadas. Isso fazia com que os artistas então quisessem exteriorizar alguns sentimentos mais digamos assim, exóticos em outras obras. Vejam por sua conta e risco, tem de tudo aí.
Não, esse cavalo não está mijando.
Vem cá, vou te mostrar a cobra
Deixa eu sintonizar aqui
PELAMORDEMODERFÓQUERGOD !! AQUILO É LEITE !!
Ah, amamentação, um moment....
PUTAQUEMEPARIUCARALHODEASAMANGALÔTRÊSVEZES

24 julho 2014

10 GIFs que mostram como não se abalar com situações embaraçosas

Sabe quando você dá aquela tropeçada na frente de todo mundo, tromba com um poste ou vai cumprimentar alguém e acontece aquele impasse do “aperto de mão, beijinho ou abraço”? Quando essas situações acontecem sempre bate aquela vontade de se desintegrar e desaparecer da face da Terra, não é mesmo? Pois saiba que essas coisas são bastante comuns e acontecem com todo mundo, portanto, você não precisa se abalar com isso não.
A seguir você pode conferir 10 GIFs — selecionados a partir de uma matéria do site Twisted Sifter — que mostram pessoas flagradas em momentos embaraçosos e que deram um jeitinho de contornar a situação. Se eles não fizerem você dar muitas risadas, quem sabe eles não sirvam de inspiração para quando você tiver que enfrentar uma circunstância parecida!
1 – Não olhe para trás
2 – Pá, pum, paft
3 – Faça de conta que nada aconteceu
4 – Dê aquela coçadinha básica
5 – Peça ajuda
6 – Aproveite para distribuir abraços
7 – Faça de conta que foi intencional
8 – Comemore mesmo assim
9 – Não desista
10 – Improvise um solo de guitarra! 

23 julho 2014

Artista reconstrói rosto a partir de garrafa de vodca no formato de crânio

Utilizando uma garrafa de vodca da empresa “Crystal Head Vodka” no formato de um crânio, o artista forense Nigel Cockerton fez uma representação de como seria o “rosto” do dono da caveira.
Ao aplicar camadas de músculos à superfície da garrafa, utilizando uma massa especial, Cockerton foi capaz de criar  uma aparência aproximada do crânio, adicionando até os olhos e "cabelos" ao modelo.
A sequência de 6 fotos foi postada na página da empresa no Facebook.
O artista forense Nigel Cockerton utilizou garrafa de vodca para recriar 'rosto' de crânio (Foto: Reprodução/Facebook/Crystal Head Vodka)
Escocês utilizou massa especial para criar camadas de pele e músculo para reconstruir o rosto (Foto: Reprodução/Facebook/Crystal Head Vodka)
Resultado final ganhou até cabelo e 'modelo' ficou com sorriso estampado (Foto: Reprodução/Facebook/Crystal Head Vodka)

22 julho 2014

20 maneiras inteligentes de fazer as pessoas gostarem de você

A capacidade de relacionar-se bem com as pessoas é um fator poderoso para qualquer profissional que quer se dar bem no mercado, haja vista que é através dessa interação que conseguimos mostrar para as outras pessoas os nossos talentos e atributos. Sendo assim, devemos otimizar nossa competência interpessoal, para que assim possamos aumentar nosso valor e consequentemente nos destacarmos no mercado.
Essa questão deveria ser dominada com maestria por todos nós, pois, praticamos esse ato desde que nascemos. Todavia, esse tem sido um dos maiores desafios do homem ao longo de sua existência. Algumas pessoas, inclusive, brincam com essa questão dizendo que preferem lidar com os animais (preferencialmente os cães), do que com o próprio semelhante, por conta das inúmeras dificuldades que um relacionamento humano possui.
Sabendo dessas dificuldades e reconhecendo a importância desse fator para o crescimento profissional de uma pessoa, elaborei 20 dicas para que possamos otimizar nossas habilidades de interação com o nosso semelhante e, consequentemente, lograrmos êxito perante o mercado.

Confira:
1 - Quebre o gelo: fique tranquilo. O primeiro contato é tão complicado para você quanto para o seu alvo. Neste caso, faça o “feijão com arroz bem feito”, ou seja, se for iniciar uma conversa com alguém, faça os cumprimentos formais (se for à noite, dê um “Boa noite!”, seguido do tradicional e imprescindível “Tudo bem?”) e, após isso, busque usar algo que prenda a atenção da outra parte (elogie a vestimenta, comente sobre uma notícia pertinente, conte uma situação engraçada que você tenha vivido recentemente, enfim, use suas habilidades de conversação). Vale lembrar que tudo é uma questão de se adequar ao ambiente no qual a pessoa se encontra (clima, local, características do público etc.), ou seja, o segredo é estudar o local e identificar o que o mesmo pede, agindo com inteligência.

2 - Trabalhe suas habilidades de comunicação: a dicção, a eloquência e seu tom de voz devem ser sempre otimizados para que, assim, as pessoas possam captar a mensagem sem maiores dificuldades. Além disso, cuide também de sua imagem (marketing pessoal), principalmente quando a outra parte estiver com a palavra, mantendo sempre os olhos fixados na pessoa, bem como uma postura reta e atenta, pois, dessa forma, a outra parte criará uma boa impressão sobre você.

3 - Saiba o quê e para quem falar: identifique os assuntos que agradam a cada tipo de pessoa e busque trabalhar em cima deles. Observe as pessoas consideradas “chatas”. Elas somente buscam falar sobre aqueles assuntos que agradam a elas mesmas, não sabem ouvir e, principalmente, não admitem serem contrariadas. Sendo assim, faça exatamente o contrário e será reconhecido socialmente sem fazer muito esforço.

4 - Seja simples: uma pessoa simples é bem recebida em qualquer lugar, pois as pessoas possuem aversão a complexidade. Sendo assim, aja sempre com singeleza e humildade, fazendo com que as pessoas percebam que você é alguém que valoriza essas coisas.

5 - Busque ter iniciativa: não espere as pessoas virem até você, pelo contrário, vá atrás delas. Demonstre para uma pessoa que se interessa por ela, que quer ouvi-la e que aprecia suas convicções. Em outras palavras, demonstre para as pessoas que você é proativo e que está buscando uma interação social, fazendo com que a sociedade reconheça o seu valor e, consequentemente, possa abraçá-lo.

6 - Saiba ouvir: os melhores comunicadores do mundo são, indubitavelmente, os melhores ouvintes. Essa habilidade faz com que uma pessoa perceba que as ideias dela são importantes para você e, mais do que isso, que você valoriza e entende as mesmas. Em outras palavras, você precisa entender que um dos maiores regozijos do ser humano é expressar suas opiniões para alguém e receber uma manifestação positiva do que foi dito, ou seja, a sua atenção e o seu respeito pelas ideias alheias é algo que lhe transforma em alguém especial na vida de outra pessoa. Portanto, ouça mais.

7 - Sorria mais: você não tem ideia do poder que uma pessoa causa na alma alheia através da estampagem de um sorriso sincero. É algo surreal e sublime, que faz com que a outra parte se sinta amada. Sendo assim, distribua sorrisos por onde passar, fazendo da alegria a sua âncora.

8 - Busque dar importância para as pessoas: busque dar atenção e apreciação para as pessoas, de forma que as mesmas entendam e percebam que elas são importantes para você. Vale lembrar que colhemos aquilo que plantamos. Sendo assim, semeie constantemente positividade e o universo se encarregará de retribuí-lo.

9 –Busque ajudar as pessoas: esteja sempre disposto a estender a mão para quem precisa, buscando ajudar o próximo de alguma forma, pois assim você será sempre lembrado como uma pessoa que está presente nas situações complexas da vida alheia. É interessante frisar que as pessoas precisam de nossa ajuda nos momentos difíceis, haja vista que os verdadeiros amigos se mostram exatamente nesses momentos, aparecendo quando todos os outros já se foram.

10 - Seja verdadeiro: a honestidade é uma característica ímpar no trato com pessoas, haja vista que, através dessa atitude, as pessoas se sentem valorizadas e respeitadas. Um dos maiores mitos criados em nosso mundo é a questão de que “puxar o saco de alguém é algo positivo”. Ora, é exatamente o contrário, pois quem age dessa forma gosta do TER e não do SER, se aproximando de uma pessoa apenas por interesses pessoais.

11 - Não seja orgulhoso: é fundamental que você seja humilde, ou seja, que não se importe com algumas atitudes negativas de seu amigo, pois é natural que ele te machuque de vez em quando. Neste caso, busque olhar para os pontos positivos, pois eles são sempre maiores do que os negativos. Outra questão importante e que temos que mencionar é a seguinte: não seja legalista, cheio de não pode isso, ou aquilo, haja vista que ninguém gosta de gente burocrática. Sendo assim, seja aberto e flexível, para que assim você seja uma pessoa que transmite uma imagem de alguém carismático e não o contrário.

12 - Seja uma pessoa de palavra: é fundamental que você seja uma pessoa congruente com suas ações, cumprindo tudo aquilo que foi acordado, para que assim as pessoas percebam que você é alguém que cumpre todos os compromissos firmados. Muitas pessoas vivem manipulando as outras com falsas promessas e mentiras. Todavia, este ato é extremamente inaceitável e mesquinho, e transforma todos aqueles que assim procedem em pessoas marcadas como sendo corruptas e forjadoras, fazendo com que a sociedade tenha aversão a elas.

13 –Valorize as ponderações alheias: valorizar os pensamentos de outra pessoa é um dos grandes segredos para que uma pessoa possa adquirir a credibilidade da outra parte. Sendo assim, ouça com atenção e busque sempre reconhecer as ideias da outra parte para que, assim, você possa contribuir positivamente na vida de seu semelhante.

14 - Evite constranger a outra parte: cuidado com aquilo que você diz, principalmente se a outra parte for tímida. Se quiser fazer uma pergunta pessoal, busque usar sua inteligência, ou seja, busque fazer seu questionamento de maneira indireta, fazendo com que a outra parte perceba que é algo natural e rotineiro e que, portanto, deve ser tratado como uma coisa simples de se responder. 

Outra questão importante é a de que você pode usar seus próprios exemplos para demonstrar para a pessoa que você também tropeça em determinadas situações. Por exemplo: se você é um palestrante profissional e busca ajudar uma pessoa a vencer seu medo de falar em público, conte para ela que você (que hoje é um exímio palestrante), teve inúmeras dificuldades no começo (fobia social, medos excessivos, timidez etc.), mas, que através da persistência, disciplina, determinação e treinamento, conseguiu obter êxito nessa empreitada e que, como todos somos iguais, automaticamente também irá funcionar com ela. Basta que ela esteja disposta a acreditar em seu potencial e, principalmente, que queira desenvolvê-lo. Parece ser algo simples e banal. Todavia, essa sua atitude irá motivar a outra parte e gerará na mesma uma certa confiança em você, lhe transformando em alguém que possui humildade e inteligência para ajudar o próximo.

15 - Incentive as pessoas a acreditarem em seus sonhos: você deve acreditar no próximo muito mais do que ele mesmo, fazendo-o não somente criar sonhos, mas, principalmente, acreditar neles e não descansar até que os mesmos sejam completamente realizados. Seus elogios, suas atitudes positivas e, principalmente, seus incentivos são fundamentais para que uma pessoa possa crescer ao seu lado e reconhecê-lo como um valioso amigo.

16 - Nunca julgue: uma coisa é aconselhar, outra é apontar o dedo para alguém, se enchendo de razão para fazer um julgamento sobre uma atitude alheia. Muitas pessoas perdem boas amizades por fazerem, estupidamente, ataques pessoais, expondo os pontos fracos da outra parte. Sendo assim, busque gostar da pessoa do jeito que ela é, e, se quiser dar um conselho, aja com prudência e sensatez, fazendo com que a pessoa entenda que é apenas uma sugestão e não uma crítica.

17 - Aprenda a perder: você não precisa vencer todos os debates ou não precisa ser sempre o dono supremo das ideias. Enfim, o que quero dizer é que em determinadas situações você será obrigado a abnegar de algumas coisas, ou seja, para poder ganhar, antes terá que perder. Deixe-me ilustrar com um exemplo: se alguém perder a razão e iniciar uma série de ofensas contra a sua pessoa, de nada adiantará você engrossar a voz e tentar rebatê-lo da mesma forma (querendo falar mais alto que ele), haja vista que desta forma estará se igualando a ele, ou seja, sendo uma pessoa hostil, ignorante e dotada de uma atitude extremamente ultrapassada e infantil. Sendo assim, o ideal é agir com sensatez e equilíbrio, esperando que esse “dinossauro” esfrie sua cabeça e possa, dessa forma, refletir um pouco sobre sua lamentável atitude.

18 - Seja irreverente: as pessoas são muito iguais e pouquíssimas são aquelas que agem diferente da maioria, ou seja, dificilmente você conhece alguém sem par nesse mundo padronizado em que vivemos. Sendo assim, busque ser a diferença na vida das pessoas, pois, dessa forma, você será considerado único e colherá bons frutos por isso.

19 - Tenha a capacidade de influenciar as pessoas: sabe aquela pessoa que repara que um amigo está querendo ir embora e faz de tudo para que o mesmo desista de sua ideia? Seja convencendo-o de que vale a pena ingerir mais um “copinho” de cerveja ou dizendo que também está para sair e que, se o mesmo tiver um pouco de paciência e puder esperar uma “meia horinha”, eles podem ir embora juntos? Pois é, essa pessoa tem o poder de influenciar os outros e de vender a sua ideia para eles e, melhor ainda, tudo de uma forma simples e objetiva. Se quiser conquistar pessoas, busque agir dessa forma, pois assim você será lembrado como alguém que aprecia os momentos com os amigos. Influenciar uma pessoa nada mais é do que demonstrar para ela que sua ideia é algo que irá beneficiá-la, de modo que se a mesma refletir sobre o assunto proposto indubitavelmente chegará a essa conclusão (e sua ideia será aprovada).

20 - Surpreenda as pessoas: busque arriscar mais, ser mais ousado e, principalmente, não ser previsível, pois nada é mais gratificante para uma pessoa do que ser surpreendida por alguém. Em outras palavras, você precisa fazer coisas que ninguém mais faz a não ser você mesmo, contribuindo para a mudança de cenários e, consequentemente, para a felicidade das pessoas.

Uma ótima maneira para crescermos em todos os sentidos é aprendendo a conquistar pessoas, porque o mundo vive em constantes conflitos e alguém que consegue fazer o processo inverso, ou seja, o de unir os semelhantes, possui total capacidade para mudar não só sua própria vida, mas também a de todos aqueles que estão ao seu redor, transformando cenários caóticos em soluções inteligentes.

21 julho 2014

Jeito estranho de reanimar lutadores na África do Sul

Acho que quando tiver um UFC África do Sul o massagista vai ser um dos profissionais mais bem pagos, porque ô profissão ingrata!
Se bem que eu acho que esse cara tá fingindo! O que vocês acham?

20 julho 2014

As novas doenças provocadas pelo uso da internet

É oficial. Conheça oito novas doenças que surgiram – ou pioraram – por conta do uso quase compulsivo da Internet e dos dispositivos digitais móveis
A Internet é um buffet infinito de vídeos de gatos, TV e Instagrams de celebridades. Mas ela também pode estar aos poucos levando você à beira da insanidade. E não estamos aqui usando nenhuma figura de linguagem.
À medida que a Internet evoluiu para ser onipresente da vida moderna, testemunhamos o aumento de uma série de transtornos mentais distintos ligados diretamente ao uso da tecnologia digital. Até recentemente, esses problemas, amenos ou destrutivos, não tinham sido reconhecidos oficialmente pela comunidade médica.
Algumas dessas desordens são novas versões de aflições antigas, renovadas pela era da banda larga móvel, enquanto outras são criaturas completamente novas. Não fique surpreso se você sentir uma pontinha de – pelo menos – uma ou duas delas.
Nomophobia
O que é: a ansiedade que surge por não ter acesso a um dispositivo móvel. O termo “Nomophobia” é uma abreviatura de “no-mobile phobia” (medo de ficar sem telefone móvel).
Sabe aquela horrível sensação de estar desconectado quando acaba a bateria do seu celular e não há tomada elétrica disponível? Para alguns de nós, há um caminho neural que associa diretamente essa sensação desconfortável de privação tecnológica a um tremendo ataque de ansiedade.
A nomophobia é o aumento acentuado da ansiedade que algumas pessoas sentem quando são separadas de seus telefones. E não se engane, pois não se trata de um #FirstWorldProblem (problema de primeiro mundo). O distúrbio pode ter efeitos negativos muito reais na vida das pessoas no mundo todo. E é mais intenso nos heavy users de dispositivos móveis
Tanto que essa condição encontrou seu caminho na mais recente edição do Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (DSM-5, ou Manual Diagnóstico e Estatístico de Distúrbios Mentais) e levou a um programa de tratamento dedicado à Nomophobia no Centro de Recuperação Morningside em Newport Beach, Califórnia.
“Estamos condicionados a prestar atenção às notificações dos nossos telefones”, disse Rosen. “Somos como os cães de Pavlov, de certa forma. Você vê as pessoas pegarem seus celulares e dois minutos depois fazerem a mesma coisa, mesmo que nada tenha ocorrido. Isso é impulsionado pela ação reflexa, bem como pela ansiedade para se certificar de que não ter perdido nada. É tudo parte da reação FOMO (Fear Of Missing Out, ou medo de estar perdendo algo).”
Síndrome do toque fantasma
O que é: quando o seu cérebro faz com que você pense que seu celular está vibrando no seu bolso (ou bolsa, se você preferir).
Alguma vez você já tirou o telefone do bolso porque o sentiu tocar e percebeu depois que ele estava no silencioso o tempo todo? E, ainda mais estranho, ele nem estava no seu bolso para começo de conversa? Você pode estar delirando um pouco, mas não está sozinho.
Segundo o Dr. Larry Rosen, autor do livro iDisorder, 70% dos heavy users (usuários intensivos) de dispositivos móveis já relataram ter experimentado o telefone tocando ou vibrando mesmo sem ter recebido nenhuma ligação. Tudo graças a mecanismos de resposta perdidos em nossos cérebros.
“Provavelmente sempre sentimos um leve formigamento no nosso bolso. Há algumas décadas nós teríamos apenas assumido que isso era uma leve coceira e teríamos coçado”, diz Rosen em entrevista ao TechHive.
“Mas agora, nós configuramos o nosso mundo social para girar em torno dessa pequena caixa em nosso bolso. Então, sempre que sentimos um formigamento, recebemos uma explosão de neurotransmissores do nosso cérebro que podem causar tanto ansiedade quanto prazer e nos preparam para agir. Mas ao invés de achar que é uma coceira, reagimos como se fosse o telefone que temos que atender prontamente”, completa.
No futuro, com a computação vestível, há o risco da doença evoluir para novas formas, como, por exemplo, usuários de Google Glass começarem a ver coisas que não existem porque seu cérebro está ligado a sinais típicos do aparelho.
Náusea Digital (Cybersickness)
O que é: a desorientação e vertigem que algumas pessoas sentem quando interagem com determinados ambientes digitais.
A última versão do iOS, sistema operacional móvel da Apple, é uma reivenção plana, versátil e bonita da interface do usuário móvel. Infelizmente, ela também faz as pessoas vomitarem e forneceu o mais recente exemplo da doença.
Assim que a nova versão do iOS foi liberada para os usuários de iPhone e iPad no mês passado, os fóruns de suporte da Apple começaram a encher com reclamações de pessoas que sentem desorientação e náuseas depois de usar a nova interface.
Isso tem sido atribuído em grande parte ao efeito que faz com que os ícones e a tela de abertura pareçam estar se movendo dentro de um mundo tridimensional abaixo do visor de vidro.
Essas tonturas e náuseas resultantes de um ambiente virtual foram apelidadas de ciberdoença. O termo surgiu na década de 1990 para descrever a sensação de desorientação vivida por usuários iniciais de sistemas de realidade virtual. É basicamente o nosso cérebro sendo enganado e ficando enjoado por conta da sensação de movimento quando não estamos realmente nos movimentando.
Depressão de Facebook
O que é: a depressão causada por interações sociais (ou a falta de) no Facebook.
Os seres humanos são criaturas sociais. Então você pode pensar que o aumento da comunicação facilitada pelas mídias sociais faria todos nós mais felizes e mais contentes. Na verdade, o oposto é que parece ser verdade.
Um estudo da Universidade de Michigan mostra que o grau de depressão entre jovens corresponde diretamente ao montante de tempo que eles gastam no Facebook.
Uma possível razão é que as pessoas tendem a postar apenas as boas notícias sobre eles mesmos na rede social: férias, promoções, fotos de festas, etc. Então é super fácil cair na falsa crença de que todos estão vivendo vidas muito mais felizes e bem-sucedidas que você (quando isso pode não ser o caso).
Tenha em mente que esse crescimento da interação das mídias sociais não tem que levar ao desespero.
O Dr. Rosen também conduziu um estudo sobre o estado emocional dos usuários do Facebook e identificou que, enquanto realmente há uma relação entre o uso do Facebook e problemas emocionais como depressão, os usuários que possuem um grande número de amigos na rede social mostraram ter menor incidência de tensão emocional.
Isso é particularmente verdade quando o uso da mídia social é combinado com outras formas de comunicação, como falar ao telefone.
Moral da história: 1) não acredite em tudo o que seus amigos postam no Facebook e 2) pegue o telefone de vez em quando.
Transtorno de Dependência da Internet
O que é: uma vontade constante e não saudável de acessar à Internet.
O Transtorno de Dependência da Internet (por vezes referido como Uso Problemático da Internet) é o uso excessivo e irracional da Internet que interfere na vida cotidiana. Os termos “dependência” e “transtorno” são um pouco controversos na comunidade médica, já que a utilização compulsiva da Internet é vista frequentemente como sintoma de um problema maior, em vez de ser considerada a própria doença.
“Diagnósticos duplos fazem parte de tratamentos, de modo que o problema está associado a outras doenças, como depressão, TOC, Transtorno de Déficit de Atenção e ansiedade social”, diz a Dra. Kimberly Young. A médica é responsável pelo Centro de Dependência da Internet, que trata de inúmeras formas de dependência à rede, como o vício de jogos online e jogos de azar, e vício em cibersexo.
Além disso, ela identificou que formas de vício de Internet geralmente podem ser atribuídas a “baixa autoestima, baixa autossuficiência e habilidades ruins”.
Vício de jogos online
O que é: uma necessidade não saudável de acessar jogos multiplayer online.
De acordo com um estudo de 2010 financiado pelo governo da Coreia do Sul, cerca de 18% da população com idades entre 9 e 39 anos sofrem de dependência de jogos online. O país inclusive promulgou uma lei chamada “Lei Cinderela”, que corta o acesso a games online entre a meia-noite e às 6 da manhã para usuários com menos de 16 anos em todo o país.
Embora existam poucas estatísticas confiáveis ​​sobre o vício em videogames nos Estados Unidos, o número de grupos de ajuda online especificamente destinados a essa aflição aumentou nos últimos anos. Exemplos incluem o Centro para Viciados em Jogos Online e o Online Gamers Anonymous, que formou o seu próprio programa de recuperação de 12 passos.
Embora a atual edição do Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders não reconheça o vício em jogos online como um transtorno único, a Associação Psiquiátrica Americana decidiu incluí-lo em seu índice (ou seção III), o que significa que estará sujeito a mais pesquisa e pode eventualmente ser incluído junto a outras dependências não baseadas em substâncias químicas, como o vício em jogos de azar.
“Quando você é dependente de algo, seu cérebro basicamente está informando que precisa de certas substâncias neurotransmissoras, particularmente a dopamina e a serotonina, para se sentir bem”, diz o Dr. Rosen. “O cérebro aprende rapidamente que certas atividades vão liberar essas substâncias químicas. Se você é um viciado em jogos de azar, tal atividade é o jogo. Se você é um viciado em jogos online, então a atividade é jogar vídeo games. E a necessidade de receber os neurotransmissores exige que você faça repetidamente a atividade para se sentir bem.”
Cibercondria, ou hipocondria digital
O que é: a tendência de acreditar que você tem doenças sobre as quais leu online.
O corpo humano é um magnífico apanhado de surpresas que constantemente nos presenteia com dores misteriosas, aflições e pequenos inchaços que não estavam ali da última vez que verificamos. Na maioria das vezes, essas pequenas anormalidades não dão em nada.
Mas os vastos arquivos de literatura médica disponíveis online permitem que a nossa imaginação corra solta em todos os tipos de pesadelos médicos!
Teve uma dor de cabeça? Provavelmente não é nada. Mas, de novo, a WebMD diz que essas dores de cabeça são um dos sintomas de tumor no cérebro. Há uma chance de você morrer muito em breve! É esse o tipo de pensamento que passa pela cabeça de um cibercondríaco – que juntam fatores médicos para chegar às piores conclusões possíveis.
E isso está longe de ser incomum. Em 2008, um estudo da Microsoft descobriu que autodiagnósticos feitos a partir de ferramentas de busca online geralmente levam os “buscadores aflitos” a concluir o pior. A hipocondria sempre existiu, claro, mas antes as pessoas não tinham a Internet para ajudar a pesquisar informações médicas às três da manhã. A cibercondria é apenas uma hipocondria com conexão banda larga.
“A Internet pode exacerbar os sentimentos existentes de hipocondria e, em alguns casos, causar novas ansiedades. Porque há muita informação médica lá fora, e algumas são reais e válidas e outras contraditórias”, disse o Dr. Rosen. “Mas, na Internet, a maioria das pessoas não pratica a leitura literal da informação. Você pode encontrar uma maneira de transformar qualquer sintoma em milhares de doenças terríveis. Você alimenta essa sensação de que está ficando doente.”
O efeito Google
O que é: a tendência do cérebro humano de reter menos informação porque ele sabe que as respostas estão ao alcance de alguns cliques.
Graças à Internet, um indivíduo pode facilmente acessar quase toda a informação que a civilização armazenou ao longo de toda sua vida. Acontece que essa vantagem acabou alterando a forma como nosso cérebro funciona.
Identificada algumas vezes como “The Google Effect” (ou efeito Google) as pesquisas mostram que o acesso ilimitado à informação faz com que nossos cérebros retenham menos informações. Ficamos preguiçosos. Em algum lugar do nosso cérebro está o pensamento “eu não preciso memorizar isso porque posso achar no Google mais tarde”.
Segundo o Dr. Rosen, o Efeito Google não é necessariamente uma coisa ruim. Ele poderia ser visto como o marco de uma mudança social, uma evolução que apontaria para o nascimento de uma população mais esperta e mais informada. Mas também é possível, admite ele, que tenha resultados negativos em certas situações. Por exemplo, um jovem adolescente não memorizar a matéria das provas porque ele sabe que a informação estará no Google quando ele precisar, diz o médico.

19 julho 2014

Surpreenda-se: descubra 13 mentiras nas quais você sempre acreditou

Todo mundo cresce ouvindo mil histórias: Napoleão Bonaparte era baixinho; mosquitos vivem apenas um dia; a muralha da China é tão grande que pode ser vista do espaço; o fruto proibido mordido por Eva era uma maçã; seres humanos têm cinco sentidos; as pessoas usam apenas 10% do cérebro...
Essas verdades não são assim tão verdadeiras, e é sempre bom saber disso. A seguir, confira uma lista de verdades de mentirinha que fazem parte da sua vida desde que você era uma criança inocente que acreditava em fadas e duendes:
1 – A muralha da China não é tão visível assim
Fonte da imagem: Reprodução/Buzzfeed
É difícil encontrá-la quando se está no espaço. Além disso, há outras construções perfeitamente visíveis lá de cima.
2 – Sangue azul não existe
Fonte da imagem: Reprodução/Buzzfeed
O sangue desoxigenado tem uma coloração vermelha forte, enquanto o sangue oxigenado é um vermelho um pouco mais claro, como uma cereja. Não existe sangue azul, e as veias só ficam dessa cor por interferência da gordura e da pele que as recobre.
3 – Camaleões não mudam de cor para se camuflar
Fonte da imagem: Reprodução/Buzzfeed
Na verdade, esses animais curiosos mudam de coloração para se comunicar. Uma cor pode significar mudanças de humor, agressão, demarcação de território e comportamento de acasalamento.
4 – O tal fruto proibido
Fonte da imagem: Reprodução/Buzzfeed
É normal que você pense que o tal fruto mordido por Eva foi uma maçã, afinal há muitas pinturas, referências, sermões e outras histórias nas quais a maçã é a ponte entre o paraíso e o pecado. A questão é: a Bíblia não diz que Eva mordeu uma maçã. O mais provável é que ela tenha comido uma romã ou um figo.
5 – Temos mais do que cinco sentidos
Fonte da imagem: Reprodução/Paperzip
E não para no sexto sentido, não! Podemos ter entre 9 e mais de 20 sentidos aguçados. Se sentimos cheiro, gosto, textura, tato e enxergamos, precisamos levar em consideração também a nossa capacidade de perceber equilíbrio, aceleração, dor, temperatura, entre outros. Você já tinha parado para pensar nisso?
6 – Napoleão não era baixinho
Fonte da imagem: Reprodução/Buzzfeed
Ok, ok, o apelido do cara era “le Petit Caporal” e, você sabe, “petit” significa “pequeno” em francês, mas Napoleão tinha 1,74 m de altura, uma estatura acima da média à sua época. O “pequeno” do apelido nada mais era do que uma forma carinhosa pela qual o líder era chamado.
7 – Quanto de seu cérebro você usa?
Fonte da imagem: Reprodução/Buzzfeed
Até Raul Seixas já falou a respeito da crença de que exercitamos pouco nosso cérebro na música “Ouro de Tolo”: “Se sentir um grandessíssimo idiota, saber que é humano, ridículo, limitado, que só usa 10% de sua cabeça, animal”. 
A verdade é que a maior parte de nossos neurônios estão sim latentes, “dormindo”, mas isso só acontece para que o cérebro funcione bem. Então, se não usamos toda nossa capacidade cerebral é porque o próprio cérebro funciona melhor assim.
8 – Vikings não tinham chifres em seus capacetes
Fonte da imagem: Reprodução/Buzzfeed
A imagem dos vikings com chapéus equipados com chifres foi criada pelo compositor alemão Richard Wagner em 1876, para a série musical intitulada “Der Ring des Nibelungen”.
9 – De onde vem o 4:20?
Fonte da imagem: Reprodução/Buzzfeed
Usuários de maconha geralmente se referem à droga como 4:20 ou, ainda, 420. Mas de onde vem o “apelido”? A nomenclatura começou a ser usada em Los Angeles, onde o código policial 420 significa “perturbação juvenil”, e não tem nada a ver com o horário.
10 – Morcegos não são cegos
Fonte da imagem: Reprodução/Buzzfeed
Apesar de 70% dos morcegos serem adeptos da ecolocalização, todos eles têm olhos e são capazes de enxergar, principalmente à noite.
11 – Expectativa de vida na Idade Média
Fonte da imagem: Reprodução/Buzzfeed
Você aprendeu que naquela época as pessoas viviam muito pouco, mas a verdade é que elas chegavam até os 60 anos sem grandes problemas. A expetativa baixa se dá devido à grande taxa de mortalidade infantil que, quando somada aos índices de mortalidade entre adultos, acabava diminuindo a média.
12 – Mosquitos vivem mais de 1 dia
Fonte da imagem: Reprodução/Buzzfeed
Você está acostumado com a ideia de que mosquitos vivem apenas 24 horas, mas a verdade é que um mesmo inseto pode azucrinar a sua vida por até 30 dias.
13 – Dedos enrugados
Fonte da imagem: Reprodução/Buzzfeed
Você é um ser afortunado e pode passar o dia inteiro dentro da piscina nesse calorão absurdo. Seus dedos ficam enrugados e isso não tem nada a ver com a sua pele absorvendo água (imagina que absurdo seria isso!), mas com uma resposta do seu sistema nervoso autônomo.
Cientistas acreditam que essa é uma herança de nossos ancestrais primatas, que tinham seus dedos e pés enrugados em ambientes úmidos para terem melhor aderência e evitar escorregões.
Fonte: Buzz Feed

18 julho 2014

Negativos fotográficos de 100 anos são encontrados na Antártica

Quase cem anos depois de um grupo de exploradores ter atravessado a paisagem congelada da Antártica na tentativa de estabelecer um depósito de suprimentos para o famoso explorador Sir Ernest Shackleton, uma caixa com 22 negativos fotográficos nunca antes vistos foi encontrada em uma dessas barracas, preservada em um bloco de gelo.
A descoberta foi feita pelo pesquisadores da entidade sem fins lucrativos New Zealand Antarctic Heritage Trust, que estão no local trabalhando para restaurar uma velha cabana de exploração. Segundo eles, os 22 negativos foram deixados lá depois que um navio encalhou durante uma tempestade de neve.
Segundo a Antarctic Heritage Trust, a identidade do fotógrafo não é conhecida, embora o responsável pelas imagens da expedição seja o fotógrafo Arnold Patrick Spencer-Smith, por isso é provável que o material pertença a ele.
"Esse é o primeiro exemplar de negativos conhecido da era heróica da Antártica", diz o diretor executivo da entidade, Nigel Watson. "Há uma escassez de imagens dessas expedições".
Imagem feita a partir de um dos negativos encontrados na Antártica (Foto: Antarctic Heritage Trust/www.nzaht.org) 
Negativos encontrados congelados na Antártica (Foto: Antarctic Heritage Trust/www.nzaht.org)
Imagem feita a partir de um dos negativos encontrados na Antártica (Foto: Antarctic Heritage Trust/www.nzaht.org)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...