30 março 2015

Como se fosse mudar…

Tenho problemas com o rosto humano. Acho muito difícil olhar para ele. Encontro a soma total da vida de cada pessoa escrita nele e é uma visão terrível. Quando se vêm milhares de rostos em um só dia, é cansativo dos pés à cabeça. E por todas as entranhas. É por isso que admiro os bilheteiros do hipódromo. E a maioria é bem legal. Acho que os anos que passaram lidando com a humanidade lhes deram uma certa visão. Por exemplo, sabem que a maior parte da raça humana é uma grande merda. Eu poderia ficar em casa. Poderia trancar a porta e brincar com tintas ou qualquer coisa assim. Mas, de alguma forma, tenho que sair, e ter a certeza que toda a humanidade é uma grande merda. Como se fosse mudar…
- Charles Bukowski 

Menina síria comove ao erguer as mãos ao confundir câmera com arma

Uma menina síria de quatro anos teria levantado as mãos para o alto como se estivesse se rendendo ao confundir uma câmera fotográfica como uma arma. A imagem comovente foi compartilhada pela fotojornalista Nadia Abu Shaban no Twitter.
Menina síria ergueu as mãos ao confundir câmera fotográfica como arma (Foto: Reprodução/Twitter/Nadia AbuShaban )
Na legenda da foto, Nadia diz que a criança pensou que o fotógrafo estava com uma arma quando apontou a câmera para clicá-la. Compartilhada no Imgur (site de hospedagem de fotos), a imagem foi visualizada por mais de 1,8 milhão de pessoas.
Guerra civil
A guerra na Síria completou neste mês quatro anos e sem uma perspectiva de fim, com um balanço humanitário dramático. Segundo a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), o conflito provocou mais de 215 mil mortes.
Quase quatro milhões de pessoas fugiram da Síria, incluindo um milhão que buscara refúgio no vizinho Líbano. No país, mais de sete milhões de sírios abandonaram suas casas e quase 60% da população vive na pobreza

29 março 2015

O que é a Deep Web e como entrar lá? Veja imagens

O Google vê tudo, ouve tudo e reproduz tudo. Será? Se até Deus tem um ponto cego – ou o diabo não existiria – você acredita mesmo que hackers, criminosos, piratas digitais e vendedores, entre vários outros tipos de pessoas que querem agir na surdina, não bolaram um jeito de esconder seus domínios virtuais de olhares curiosos?
É claro que sim, e essa opção inclusive é bem fácil, não requisitando nem mesmo domínio de criptografia ou programação: basta informar que você não quer que o conteúdo do seu blog ou site seja público. Por isso, na verdade, como se diz, a internet comum (ou “Surface”, que significa “Superfície”) é apenas “a ponta do iceberg”, ou seja, há muito mais escondido do que revelado quando você procura por algo num site de busca.
Por isso, a Deep Web não é exatamente recente, mas vem se popularizando muito ultimamente pelas bizarrices que podem ser encontradas nela, como fóruns de canibais, “human dolls”, pedofilia e outras coisas que qualquer pessoa com um mínimo de bom senso não procuraria no Google comum. Por isso, desmistificamos a Deep Web e a explicamos pra você a seguir, sem tabus nem exagero:
1) Navegadores especiais
Não é apenas o TOR que acessa a Deep Web, mas também o I2P e o Freenet, que são os mais populares. Além deles, também se usa muito o LINUX, por sua segurança.
Outras opções menos “pop” são o Netsukuku, Freifunk, Funkfeuer, OneSwarm, GnuNet, RetroShare, Phantom, GlobaLeaks, Namecoin, OpenNIC, Dot-P2P, Guifi, AnoNet2, dn42, CJDNS, Osiris, FreedomBox, Telex, Omemo, Project Byzantium e Hyperboria, só pra citar alguns. O TOR é o mais popular por criptografar seus dados, te deixando “invisível”, mas até o Chrome ou o Firefox fazem isso.
2) Quando você para dentro do abismo, ele também olha dentro de você
A Deep Web, em si, não é má. Afinal, ela é usada principalmente para o download de séries, filmes, livros, manuais e outros tipos de informação raras, e, no meio disso tudo, muita pornografia e coisas bizarras. Mas em quê, exatamente, isso difere da Internet normal? Na verdade, a Deep Web é apenas uma forma mais avançada de procurar coisas, e se você não é uma pessoa perturbada normalmente, não vai achar nada de perturbador lá.
3) Vírus
Se você está usando um navegador criptografado e procurando coisas que não devia, que foram feitas para ser escondidas, qual você acha que é a chance de um hacker ter deixado seus “cãos de guarda”, os vírus, protegendo suas terras? Altíssima, é claro, mas, mais uma vez, se você não for atrás de conteúdo impróprio, não preencher cadastros duvidosos e não fizer downloads sem se certificar de que a fonte é confiável, a probabilidade de infectar seu PC é baixa, apesar de maior do que na rede comum. E, como dissemos, a Deep Web tem todo tipo de hacker, mas a maior parte dos navegantes são pessoas comuns, apenas curiosas, como eu e você.
4) A Deep Web não é feita para brasileiros

Bom, a internet também não, já que não tem linguagem oficial. E, como o resto do mundo, se você quiser ter acesso à cultura internacional, vai precisar aprender a ler em inglês, já que não há sites traduzindo o conteúdo, como a Fatos faz com o conteúdo da web comum, por exemplo. Mas quem sabe esse não seja até um incentivo pra você aprender uma linguagem nova, que vai te ajudar inclusive no mercado de trabalho?
5) Acessar a Deep Web é ilegal
Com afirmações esdrúxulas, como de que o FBI iria atrás de quem acessa a Deep Web ou que todo o conteúdo disponibilizado lá é ilegal, as pessoas criam tabus e um medo desproporcional com o conteúdo encontrado na rede, que, como dissemos, é muito mais manipulado por você mesmo do que pelos outros. Simplesmente acessar o Google enche sua tela de fotos de crianças peladas, gente morta e monstros? Nem a Deep Web, que funciona exatamente da mesma forma. Portanto, como diria o Capitão Planeta, “o poder é de vocês!”.
O fato, no entanto, é que todos esses registros são bizarros demais para pensar muito sobre eles. É impossível, por exemplo, tentar imaginar os motivos que levaram essas pessoas a fazerem fotos tão grotescas e assustadoras como as que você confere abaixo:
Pobres manequins: uns perderam a cabeça, outros não chegaram a perder as ceroulas.
Caveirismo
É só uma ninhada do Cronenberg, crianças...
Zhu Ming
Fonte: http://www.fatosdesconhecidos.com.br/

28 março 2015

Tentativas falhas

"Mas vai viver, não fica no meio do caminho, não atrapalha o que quer passar por aqui ainda. Agora vocês estão além da distância que os separa, aliás muitos além daquela que os mantinha separado. Por duas vezes, tentativas falhas. Você ainda continua no lugar errado tomando decisões que procedem uma volta ao mundo todo antes da casa certa. Você tem objetivos paralelos, que não mais ligam ao antigo querer. Acorda e quer saber se ele dormiu bem, se arruma pra ir ao trabalho e se embola em meio as roupas querendo saber se ele gostaria das que usaria, se embola em panos e panos em pensamento. Desfaz-se da própria cara de sono, confundindo com a água que molha o rosto com as suas próprias. Sai todos os dias para o trabalho, deixando pelo caminho, como migalhas de pão, seus próprios devaneios que nem os passarinhos comem, rejeitando dores que atrapalhem o canto da manhã, pois quando corre de volta a casa perdida, lá estão as intocáveis migalhas e as recolhe todos os dias, com um sabor amargo pela insanável vontade de não sentir o peso das que os teus pássaros já se alimentaram. No retorno se encolhe em meio a multidão de sorrisos. Olha pelo visor de um coletivo, um público de iluminadas mentes que também recolhe suas migalhas ao final do dia, esquecendo algumas no banco ao lado, esquecidas ao meio de uma conversa desinteressante, um peso cada vez menor. Deitam-se cansados, perdidos em meio a amores de fim de semana, desejando que esses finais durem mais. Não duram mais. Ansiando por um novo sabor, que não rememorem a história, mas o final de semana é sempre o mesmo. Repetições errôneas do sabor de aparência diferente e insuficiente. Sobrevive de observações, analisando os restos que traz na mão, de uma vida que parece não começar. Carrega o peso de tempos moídos. De peças que pedem por chegadas. E de aves que fogem de suas gaiolas, fazendo questão de trazer as migalhas deixadas no caminho propositalmente, em cima do meu travesseiro."
- Sequestraram os pássaros do Céu - Aleisk 

Menino de 9 anos com doença rara espera por doador de medula óssea

Felipe da Silva, de 9 anos, morador de Salto (SP), sofre de uma doença rara chamada Aplasia medular, que interrompe a produção de sangue na medula óssea. Por conta disso, deposita no transplante a chance de levar uma vida normal. O problema é que mesmo o Brasil tendo mais de 3,5 milhões de doadores cadastrados no Instituto Nacional de Câncer (Inca), não está sendo fácil encontrar um doador compatível com o garoto, que sonha em voltar a jogar futebol um dia. Segundo especialistas, a expectativa de compatibilidade é de 1 para 100 mil pessoas.
Felipe precisa de um transplante de medula
óssea (Foto: Reprodução/TV TEM)
A mãe de Felipe, a técnica em enfermagem Kelly Regina Afonsa da Silva, conta que a família só ficou ciente da doença em dezembro do ano passado, depois de uma pneumonia. "Foi um choque, nós ficamos sem chão. Na hora que os médicos falaram que ele precisava de um transplante de medula. Para mim, era o fim do mundo."
Os médicos deram três caminhos para Felipe: o primeiro, transplante da irmã legítima, a Júlia, de apenas 3 anos, mas o que não esperavam é que não houvesse compatibilidade entre os dois; o segundo, é um tratamento com remédios que o garoto já está fazendo e, por último, o transplante de medula óssea de um doador desconhecido.
Hoje eu sonho para encontrar esse doador e, quando isso acontecer, eu vou abraçar e amar essa pessoa pelo resto da minha vida"
Kelly Regina Afonsa da Silva,
mãe do Felipe
"O meu apelo é que as pessoas se coloquem no lugar das outras. Eu também nunca imaginei que algo assim pudesse acontecer com o meu filho. Hoje eu sonho para encontrar esse doador e, quando isso acontecer, eu vou abraçar e amar essa pessoa pelo resto da minha vida", comenta Kelly.
Gustavo Neves, médico do Grupo de Pesquisa e Assistência ao Câncer Infantil (Gpaci), afirma que além da dificuldade em encontrar um doador compatível, muitas vezes, ele não é localizado. "As pessoas que se tornam doadoras de medula óssea, elas não mantém o cadastro atualizado no site do Inca. Segundo uma estimativa recente, 30% desses doadores estão com o cadastro desatualizado", explica o oncologista pediatra.
Como se cadastrar
Para se cadastrar no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome), é preciso ter entre 18 e 55 anos de idade e não ter nenhum problema de saúde. Basta procurar o Hemocentro mais próximo de sua casa.
Confira informações sobre como doar
(Foto: Reprodução/TV TEM)
A ONG Asa Morena faz várias ações de conscientização sobre a doação de medula e ainda dá suporte às famílias dos pacientes. O presidente da entidade, Fábio Castilho, diz que a ideia é incentivar mais e mais pessoas à se cadastrarem para a doação. "Com a informação, a gente consegue vencer o grande desafio, que é cadastrar mais gente no banco, além de trazer a expectativa, que hoje é de 1 para 100 mil, para um patamar mais adequado."
A jornalista Tânia Franco conta que conseguiu encontrar um receptor compatível. Em 2001, foi chamada para doar depois de quase dez anos de cadastro. Tânia diz que a vida ganhou ainda mais sentido. "A gente passa a compreender que qualquer pessoa está suscetível a fica doente e, quando isso acontece, a coisa que você mais espera durante a sua luta pela vida é encontrar alguém que possa te ajudar", conclui.
Felipe espera por transplante para poder ter uma rotina normal (Foto: Reprodução/TV TEM)

Diretora ameaçada por mãe de aluno é afastada temporariamente no Paraná

A diretora de uma escola municipal ameaçada pela mãe de um aluno foi afastada temporariamente do cargo pela Secretaria Municipal de Educação de Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná. O afastamento foi confirmado pela secretaria neste sábado (28), e segue até a conclusão do procedimento interno de investigação.

Um vídeo divulgado pela secretaria, na sexta-feira (27), mostra a mãe de um aluno de 9 anos ameaçando a diretora de uma escola municipal de Ponta Grossa com uma faca.
A situação foi na tarde de terça-feira (24) e a mulher foi presa em flagrante pela Polícia Militar (PM) por ameaça, desacato e danos ao patrimônio público. A mulher ficou enfurecida, após saber que o filho tinha desaparecido na hora do recreio, por volta das 15h.
A mãe, Cintia Ferreira da Silva, foi chamada à escola e informada que o estudante tinha fugido com um colega de 8 anos por um buraco na grade ao redor da escola. Ela foi até a sala da direção e começou a discutir com a diretora. A situação foi filmada por uma funcionária da escola.
O vídeo mostra a mulher falando palavrões aos servidores. “Se meu filho não aparecer, eu te mato”, dizia a mãe do aluno. Cintia tirou uma faca que estava dentro da bolsa e foi contida pela mãe do outro estudante que também tinha sumido. A mulher ainda bate na mesa da diretora e derruba dois armários com materiais escolares.
Mãe ameaça diretora de escola com faca (Foto: Reprodução/RPC)
Mãe ameaça diretora de escola com faca (Foto: Reprodução/RPC)
As crianças foram encontradas ainda na terça-feira, por volta das 23h. Segundo a moradora Edinéia Pontes, que ajudou nas buscas, os estudantes estavam assustados e sujos. “Eles estavam com medo porque disseram que um homem passou a cavalo e ameaçou os meninos”, disse. Testemunhas contaram à polícia que as crianças saíram da escola para brincar de bola e se perderam em um matagal.
Mãe diz que não se arrepende
Cíntia estava na cadeia Hildebrando de Souza, em Ponta Grossa, e foi solta na sexta, após conseguir liberdade provisória. Ela alegou que ficou nervosa porque o filho sumiu enquanto estava na escola. “Eu entrei e fui pra cima dela. Cadê a responsabilidade da escola? Não me arrependo nem um pouco”, afirma.
O advogado de Cíntia, Gidalte de Paula Dias, diz que a mãe tinha levado a faca para afiar e, por isso, estava dentro da bolsa. “Nada foi feito premeditadamente”, acrescentou. Ele diz ainda que Cintia ficou irritada pelo desaparecimento e porque foi agredida verbalmente pelos funcionários da escola.
Secretaria vai reforçar segurança
A direção da escola não quis dar entrevista, mas a Secretaria Municipal de Educação enviou nota informando que o buraco na grade foi feito por vândalos, e que a direção agiu corretamente ao avisar o Conselho Tutelar, a Guarda Municipal e a Polícia Civil sobre o desaparecimento das crianças.
“Em decorrência da situação em questão, a Secretaria de Educação se reunirá com a Patrulha Escolar na próxima segunda-feira (30) para intensificar a segurança dos alunos na escola municipal. Além disso, professores e a equipe pedagógica também foram orientados a manter os portões sempre trancados e verificar a ocorrência de novas aberturas no alambrado que cerca o prédio”, informou a Secretaria em nota.

Visitantes ficam nus em exposição de arte no Canadá

Várias pessoas participaram nus de uma visitação a uma nova exposição no museu de Kitchener, na província de Ontário, no Canadá. O nome da mostra era justamente "Ficar nu", ou seja, os visitantes deveriam tirar a roupa enquanto viam as obras.
Sem roupa, casal observa obra de exposição no Canadá (Foto: Aaron Harris/Reuters)
Mome da mostra era justamente 'Ficar nu' (Foto: Aaron Harris/Reuters)
Homem é fotografado enquanto observa obra da mostra (Foto: Aaron Harris/Reuters)
Homem fotografa obra em que visitantes ficaram nus (Foto: Aaron Harris/Reuters)

26 março 2015

Qual o motivo das suas atitudes?

"Antes eu costumava perguntar à minha mãe: “mãe, porque as pessoas são assim?” Ela quase sempre me respondia que, quando eu crescesse, talvez eu entenderia. Eu cresci. E a verdade é que ainda não entendo. Porquê as pessoas são assim? Ninguém sabe responder. Todos se calam, silenciam, viram o rosto, passam reto, desconversam o assunto, fogem. As pessoas não entendem porque elas mesmas são assim e isso é o mais engraçado - irônico, melhor dizendo - de tudo. Quanta hipocrisia carrega esses olhares famintos de atenção, desprezo e arrogância. Uma criança não sabe mais ser criança porque os adultos não permitem, não as permitem, não se permitem. Os idosos parecem enxergar a criação deles mesmos como monstros sem piedade, compaixão e respeito. Veja só o que criastes, vó. Observe a continuação do que começastes, vô. E eu ainda me encontro em plena adolescência bombardeada com tantas informações, regras, escolhas, desafios, conquistas e tudo mais. Eu ainda não terminei de crescer e, talvez, quem sabe, seja por isso que eu não entenda. Mas você faz parte deles e não entende também. Qual o motivo das suas atitudes? E qual a razão nas suas razões? Os seus conceitos são dignos de serem mantidos? O seu caráter tem algum valor? Um eterno silêncio toma conta da sala, do ambiente, da cidade, do resto do universo e de todas as galáxias. Os seres humanos são capazes de entender o comportamento de uma célula microscopia e de descobrir a cura pra uma doença incurável, mas não são capazes de responderem quem realmente são. E o pior: nenhum, dentre todos eles, se importam em saber a resposta. O mundo deixou de ser mundo há tempos e ninguém se deu conta disso. A nossa raça - sim, nossa, pois também faço parte de toda essa podridão de gente - esqueceu o companheirismo, a honestidade e os valores no meio do caminho. As máquinas evoluíram e o nosso cérebro retrocedeu. Vivemos em meio as mais diversas formas de tecnologia, mas agimos como meros homens das cavernas. Matamos uns aos outros sem piedade, passamos por cima dos restos de cada um sem misericórdia, destruímos o pouco que nos resta sem nenhum limite. Desaprendemos a sorrir por sorrir, brincar por brincar, fazer alguém feliz porque é bom ver a felicidade no canto dos lábios de outra pessoa. Nossos olhos passaram a ter apenas uma direção: o nosso próprio umbigo. A luta incessável por dinheiro, dinheiro e dinheiro ainda será o nosso próprio fim. Dinheiro nenhum deveria ser capaz de mudar o que cada um carrega no peito, mas muitos de vocês permitem que ele mude. Porquê as pessoas são assim? Hey, mãe! Eu não quero mais entender. Tudo o que eu quero, agora, é fugir daqui."
- Capitule

Saiba quem era o copiloto do avião que caiu na França

O copiloto do avião da Germanwings que caiu na terça-feira (24) nos alpes franceses, que, segundo a Promotoria da França, parece ter derrubado a aeronave deliberadamente, era alemão e tinha 28 anos de idade.
O copiloto Andreas Lubitz (Foto: Reprodução)
Página de Andreas Lubitz em rede
social (Foto: Reuters)
Andreas Lubitz se tornou copiloto da Lufthansa em setembro de 2013 e tinha 630 horas de voo de experiência, informou a companhia à AFP.
Carsten Spohr, CEO da Lufthansa, disse em entrevista coletiva que Lubitz começou seu treinamento em 2008 e foi comissário de bordo enquanto não podia pilotar.
Disse ainda que ele interrompeu o treinamento por alguns meses, mas que isso não é incomum, e que ao se tornar copiloto estava "100% apto para voar, sem restrições". Segundo Spohr, ele passou em todos os exames médicos e de pilotagem.
O copiloto era natural de Montabaur, na região de Rhineland-Palatinate, na Alemanha. Ele vivia com os pais na cidade e também tinha uma moradia em Düsseldorf, afirmou a prefeita de Montabaur ao jornal "El País".
A publicação espanhola afirmou ainda que o perfil de Lubitz no Facebook foi apagado (veja acima uma captura de tela da página).
Perfil psicológico
Durante entrevista coletiva, o promotor de Marselha Brice Robin afirmou que não tem nenhuma informação sobre o perfil psicológico ou a filiação religiosa do copiloto. Ele reiterou que Lubitz não estava em listas de suspeitos de terrorismo.
Segundo o jornal inglês "The Guardian", Lubitz era descrito por vizinhos como uma pessoa amigável e que perseguia seus sonhos "com vigor".
Na cidade de Montabaur, um conhecido do copiloto disse à “Associated Press” que ele não mostrava sinais de depressão quando o viu no último outono, enquanto ele renovava sua licença para pilotar planadores em um clube local.
“Ele estava feliz por ter o emprego na Germanwings e estava indo bem”, disse um membro do clube, Peter Ruecker. Ele descreveu Lubitz como um homem “um pouco reservado”, mas "muito amigável".
O promotor de Marselha, Brice Robin, afirmou na entrevista coletiva que os registros de áudio mostram que um dos tripulantes deixou a cabine e que o copiloto se recusou a reabrir a porta para a volta do piloto. Disse ainda que Lubitz estava vivo e respirando até o momento em que a aeronave bateu nas montanhas.
Ele também afirmou que o copiloto acionou o mecanismo de descida do avião de maneira voluntária quando estava sozinho na cabine. Não houve alerta de emergência vindo do avião, segundo Robin.
Policiais protegem a casa de Andreas Lubitz em Monatbaur, na Alemanha (Foto: Michael Probst/AP)
Clubes de voo
O clube de voo LSC Westerwald, na Alemanha, do qual Lubitz era membro, postou em seu site uma nota sobre o copiloto.
Placa na casa de Andreas Lubitz
(Foto: Michael Probst/AP)
“Quando jovem, Andreas se tornou membro do clube, ele queria realizar seu sonho de voar. Ele começou como aprendiz em planadores e conseguiu se tornar piloto do Airbus A320. Ele foi bem-sucedido em alcançar seu sonho, um sonho com o qual ele pagou com a vida", afirma o texto.
Lubitz também foi certificado pela Associação de Aviação Federal dos Estados Unidos (FAA, na sigla em inglês) para uma categoria não comercial de pilotos. A inclusão do piloto alemão na base de dados de pilotos certificados foi notícia em um portal jornalístico da área de aviação comercial em setembro de 2013.
Associação americana de aviação emitiu certificado para Andreas Lubitz em janeiro de 2012 (Foto: Reprodução/FAA)
Segundo o banco de dados da FAA, Andreas Gunter Lubitz recebeu uma licença da associação como piloto em treinamento ("student pilot") em 2010, e uma certificação de “piloto particular” em 6 de janeiro de 2012. O site também especifica que o certificado de Lubitz nos Estados Unidos é válido apenas para aeronaves com um só motor ou planadoras, e quando acompanhado de sua licença para voar emitida pela Alemanha.

Fãs se cortam com saída de Zayn do grupo One Direction

A notícia de que Zayn Malik vai deixar o grupo One Direction movimentou as redes sociais ontem e trouxe consequências bem preocupantes. Várias adolescentes, de todo o mundo, lançaram uma campanha que consistia em se automutilar e postar a foto no Twitter com a hashtag #cut4zayn, na tentativa de fazer o ídolo voltar à banda. Em poucos minutos, o assunto estava nos Trending Topics mundiais.
Zayn, Niall, Harry, Liam e Louis formaram a banda teen em 2010, após participarem do programa ‘The X Factor’, na Inglaterra. Há alguns dias, Zayn chegou a desistir de participar de shows na Malásia e Indonésia, alegando estar muito estressado e precisando de descanso. Mas somente ontem veio o comunicado oficial, através do Facebook do grupo.
“Minha vida com o One Direction foi muito mais do que eu poderia imaginar. Mas, depois de cinco anos, eu sinto que é a hora certa de sair. Gostaria de me desculpar com os fãs, mas tenho que fazer o que meu coração manda. Vou sair porque quero ser uma pessoa normal de 22 anos, que pode relaxar e ter uma vida privada, longe dos holofotes. Eu sei que tenho quatro amigos para a vida em Louis, Liam, Harry e Niall. Sei que eles continuarão sendo a melhor banda do mundo”, escreveu Zayn no comunicado.
O que ele não imaginava era que a sua saída fosse se tornar perigosa para suas fãs, já que muitas delas começaram a se cortar como forma de ameaça e demonstração de tristeza. Esse comportamento das meninas é avaliado como preocupante pela psicóloga Beatriz Acompora. “A pessoa que teve a ideia inicial pode ter distúrbios e ideias autodestrutivas. E, com o poder se persuasão, faz com que outras pessoas sigam a ideia. Na internet, esse tipo de coisa é comum, as pessoas acham um jeito de tentar influenciar as outras”, explica Beatriz.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...